Los Lecheros Entretenimento

O Tony Stark mecere um Oscar?

Cuidado com o que vai falar...

Cuidado com o que vai falar…

Sejamos razoáveis

Independente de gostar ou não de filmes “de heróis” – Adaptações de quadrinhos, novels ou jogos em geral – temos que concordar que o ator citado é deveras talentoso. Talvez mude sua opinião ao perguntar “Robert Downey Jr merece um Oscar?”.

Vivo me perguntando...

“Conte me mais…”

Bom…
Se sua opinião mudou – Ou no mínimo essa nova pergunta te fez repensar a resposta – talvez você, como muitos, esteja sofrendo da doença que eu carinhosamente chamo de “Síndrome do retardo anti-pop”.

 

A Teoria

Davi bolado.

Davi bolado.

Okay, quem somos nós para falar de arte? Bom… No pouco que a citou, Platão essencialmente disse que Arte é Imitação. A busca talvez pelo Real no Imaginário; há quem diga ainda que fazer Arte é fazer o inverso do processo filosófico de ideal que Platão tinha para o mundo, levando ao campo das ideias, demonstrações precisas e acuradas do campo terreno. Aristóteles, talvez um pouco mais radical, negava a essência criadora. Dizia que o que hoje chamamos de Arte, é mera técnica, e o Artista, seria então um rele executor de uma obra já criada – Talvez pela natureza em sua perfeição. Para ele, a Tragédia era uma ferramenta para educar as emoções. Ambos pensadores focavam-se principalmente na finalidade e não na forma. Arte existe por ter função e não simplesmente por ser Arte.

É claro tais definições não são as que vigoram hoje, e como já disse: Não sou muito letrado nesse campo para saber muito mais que isso. Mas algo é importante aqui, por que muito disso ainda existe. Até hoje consideramos Davi de Michelangelo, uma peça incrível e sem igual – E é meramente uma imitação em pedra. Por muitas vezes vejo pessoas considerando Arte, apenas o que é difícil de executar – Talvez por isso Davi ainda seja muito apreciado pelo grande publico.

Eu defino Arte, Belo, aquilo que me desperta sentimento. Aquilo que muda o estado padrão de humor para qualquer outro que seja, desde que intenso e legitimo. Um herói por si só já pode ser considerado algo de incrível potencial artístico segundo meus parâmetros – A exemplo, Homem Aranha.

A reinterpretação, ou releitura, nesse caso mistura o que há de mais antigo no pensamento sobre arte, com o que já se vem sendo mais aceito, que é a Criatividade e Inovação. Há no recriar, algo belíssimo; que é trazer uma essência passada ou “batida”, mas ainda com fundo belo e função, para a intimidade da realidade de seu novo tempo. Walt Disney era mestre nisso, e poucos se atreveriam a negar. Ambas as versões de “A Branca De Neve”, sua essência e beleza em Educar as crianças fora preservada. A reinterpretação ou releitura em toda a sua magnificência.

 

O Fatality – Retardality

Gotta make sense bitch!

Gotta make sense bitch!

Novamente sobre a “Síndrome”. Hoje vivemos num mundo onde o que é da cultura Pop, por muitos não é considerado arte. Eu digo que é bobagem, por que o que hoje é “Cult”, em seu tempo era lixo, ou no mínimo pouco relevante – Lovecraft que o diga.

Porra cthlulhu?

Porra cthlulhu?

Filmes como Homem de Ferro, Homem Formiga, Homem Aranha 2, e tantos outros Homens que mexeram com nossos corações nesses últimos 10 anos (HueHue), merecem com certeza um lugar ao sol nas premiações. Vivemos num mundo em que O Retorno do rei recebeu 11 Oscars, num ano com O pianista, Gangues de Nova York, A viagem de Chihiro… Agora eu pergunto novamente. O Tony Stark Merece um Oscar? O que vocês acham?

Uel dón madafoca!

Uel dón madafoca!